Your Adsense Link 728 X 15

Mais Qualidades Depreciativas

CONGRÁTULÊICHONS! Você é o visitante número...

EXPRESSÕES SERGIPANAS

Posted by Lillo G. segunda-feira, 17 de outubro de 2011 1 Comentários dos clientes:
- Pão jacó: pão francês
 
- Perainda: junção dos termos espere e ainda. Quer dizer, fique esperando.
 

- Avexada (o): com pressa
 

- Aquéte (aquiete) o faixo: usada para pedir que alguém contenha os ânimos, ou simplesmente que fique calma
 

- De hoje: Há muito tempo
 

- De hoje a oito: Daqui há uma semana
 

- Mulhé: mesmo quando se sabe o nome da pessoa a expressão é utilizada repetitivamente em uma conversa
 

- Niuma (nenhuma): sem problema algum!
 

- Fi (a) do cabrunco (filho do cabrunco): realça as qualidades de alguém, tanto positivas quanto negativas
 

- Botou pá (pra) lá: arrebentou, fez muito bem. Pode ser substituída pelas expressões ‘botar pá lascar’, ‘botar pá descer’,       ‘botar pocando’.
 

- Da gota: dá ênfase a algo/alguém muito bom ou ruim
- Pense: você nem imagina
 

- E foi?: demonstra surpresa em relação à história relatada
 

- Pegar o beco: ir embora
 

- Caçando: procurando
 

- Brenha: lugar muito distante
 

- Vixe: adaptação da palavra ‘virgem’, substituindo a expressão ‘Virgem Maria’
 

- Deixe de conversa: utilizado quando alguém não acredita, ou não quer acreditar, em uma história
 

- Azuado (a): cheio de tarefas a cumprir, estressado
 

- Meladinha: bebida feita com cachaça, cebola e tempero verde, servida tradicionalmente quando um bebê nasce. Muito         comum em alguma zonas rurais do Estado.
 

- Divera: derivada da expressão ‘de fato’, usada quando alguém se lembra de algo. Muito usada nas zonas rurais.
 

- Rapaz: a palavra é usada para se referir a idosos, adultos, crianças, mulheres, moças e, por que não, a rapazes!
 

- Avie (aviar): provavelmente derivada da palavra ‘avião’, é usada para pedir pressa a alguém
 

- Már menino (mas menino): expressão usada para discordar de algo
 

- Vou não: hábito dos sergipanos e nordestinos de forma geral, em colocar o verbo antes do advérbio
 

- Mangando (mangar): apesar de estar no dicionário da língua portuguesa, apenas é utilizada na região Nordeste. Significa   rir, tirar sarro.
 

- À pulso: na marra, na força
 

- Arrodeou (arrodear): dar uma volta completa em torno de algo ou alguém
 

- Pois... : é uma espécie de palavra-chave no dialeto sergipano, principalmente na capital. É usada nas mais diversas               situações: dúvida, discordância, desprezo, etc.
 

- Me picar (se picar): ir embora. Surgiu da antiga expressão ‘picar a mula’
 

- Bora embora: A expressão secular foi se modificando: ‘vamos em boa hora’ se transformou em ‘vamos embora’, que virou   ‘vambora’, que ainda foi diminuída a ‘bora. O sergipano usa a repetição ‘Bora embora’.
 

- Painho: forma carinhosa de se referir ao pai e à mãe (mainha), típico dos nordestinos.
 

- Tá cá peste (está com a peste): expressa a descrença em uma hipótese, quando não se acredita que alguém vai tomar       determinada atitude.
 

- Tototó: barcos de pequeno porte, muito utilizados em Sergipe antes da construção da ponte João Alves, que liga Aracaju à   Barra dos Coqueiros. Recebeu esse nome pelo barulho que o motor emite.
 

- Mô fio (meu filho): gíria urbana, muito utilizada no tratamento entre amigos. O sergipano reduziu as duas palavras que,           quando pronunciada, parece uma só.
 

- Nestante: abreviação da expressão ‘neste instante’. Apesar de dar idéia de presente, também é usada em frases no             passado e no futuro.
 

- Que só: expressão utilizada para dar idéia de intensidade. Pra ficar mais intenso ainda diz ‘que só a peste’.
 

- Ruma: amontoado de coisas ou pessoas; o mesmo que ‘um monte’
 

- Barriar (barrear): ficar irritado, com raiva; em sergipanês, barriar também pode ser ‘ficar azedo’ 
 

- Óia: Olha 


- Deixe dessa: aconselha a não fazer algo ou deixar de lado algum sentimento. Pode substituir as expressões “não faça         isso” ou “não pense assim” 
 
- Valeime: usado em situações de espanto ou desespero 
 
- Arretado: serve para qualificar algo ou alguém positivamente
 
- Gastura: aflição, mal estar
 
- E foi, foi? : repetição utilizada pelos sergipanos para enfatizar a dúvida
 
- Eita pêga: expressão para momentos de desespero ou alegria. Ex: “Eita pêga, que coisa boa!”;

- Repare! : o mesmo que ‘olhe pra isso’.

Agora não tem mais desculpa. Quando pensarem em vir conhecer Sergipe, já podem se comunicar como um de nós. Espero que isso possa ter ajudado vocês, meus caros leitores e turistas acidentais do blog.

1 Comentários dos clientes::

Anônimo disse...

Obrigado!Ajudou muito! :)

Postar um comentário

Comentários inteligentes revelam pessoas inteligentes. Deixe seu comentário, que responderemos em breve. Se gostou da postagem, clique numa dessas janelinhas acima, e compartilhe-a em suas redes sociais.

Não gostou das postagens e nem do blog?

Não gostou das postagens e nem do blog?